Imprimir Email Criado em 30-10-2019

Em cumprimento da resolução nº 10 CD/UCCA /06/19 da reunião do Comité Director da União dos Conselhos de Carregadores Africanos (UCCA),realizada de 13 a 14 de Junho de 2019, em Kinshasa - República Democrática do Congo, foi realizada de 2 a 4 de Outubro de 2019,

no Centro Internacional de Conferências de Sipopo, em Malabo, República da Guiné Equatorial, a reunião sobre a revisão do Estatuto orgânico da União dos Conselhos de Carregadores Africanos e reformas dos Comités Permanentes.

A cerimónia de abertura foi marcada pelos discursos de boas vindas da Senhora María Jésus OBIANG MANGUE - Directora Geral do Conselho de Carregadores da República da Guiné Equatorial, do Eng. Catarino Fontes Pereira – Director Geral do Conselho Nacional de Carregadores de Angola, nas vestes de Vice Presidente da UCCA e em representação do Presidente da União dos Conselhos de Carregadores Africanos. O discurso de abertura foi proferido por Sua Exa. Senhor Juaquin Elema Borengue - Ministro Delegado dos Transportes, Correios e Telecomunicações da República da Guiné Equatorial.

A abertura dos trabalhos do Comité de Peritos foi feita pelo Eng. Catarino Fontes Pereira - Vice-Presidente da União dos Conselhos de Carregadores Africanos (UCCA) que parabenizou o Conselho de Carregadores da Guiné Equatorial pelas condições criadas para a realização do evento e lembrou aos participantes que esta reunião responde aos objectivos traçados pelo Comité Director da UCCA que pretende melhorar o Estatuto Orgânico da UCCA. 

A delegação do Conselho Nacional de Carregadores de Angola foi liderada pelo seu Director – Eng. Catarino Fontes Pereira, acompanhado do Senhor Carlos Domingos – Chefe do Departamento de Apoio ao Director Geral e da Senhora Rosalina Hombo – Técnica do Departamento de Operações, destacada no Serviço Provincial do CNC na província de Benguela. 

A reunião obedeceu a seguinte agenda de trabalho.

 

1. Revisão dos estatutos da UCCA;

 

2. Revisão do Manual de Procedimento;

 

3. Revisão do Regulamento do Pessoal;

 

4. Reforma dos Comités Permanentes;

 

5. Recomendações.

   
  

Fonte: CNC-Angola